Desde o final de janeiro, o governo deve oferecer o remédio trastuzumabe às pacientes com câncer de mama metastático (processo em que a doença se espalha pelo organismo). Até agora apenas mulheres com a doença na sua fase inicial tinham direito ao tratamento gratuito.

A ampliação no fornecimento da medicação foi anunciada no ano passado e 29 de janeiro último foi a data definida para a entrada em vigor da medida. O trastuzumabe, um dos remédios mais eficientes contra esse tipo de tumor, está na Lista de Medicamentos Essenciais utilizados contra o câncer de mama da Organização Mundial da Saúde (OMS).
Dados recentes do Instituto Nacional do Câncer (INCA) apontam que o câncer de mama feminina será o terceiro tipo com mais diagnóstico no Brasil em 2018, podendo chegar a quase 60 mil o número de novos casos.

Criada em 2008, a Lei 11.664 garante que mulheres a partir dos 40 anos tenham acesso à mamografia gratuita no SUS. Porém, pacientes de todas as idades podem se utilizar do benefício. O exame é o mais eficiente atualmente na identificação da doença. A partir do diagnóstico, a rede pública tem 60 dias para disponibilizar o tratamento.
Além da ampliação no fornecimento de medicação, o governo acaba de anunciar que redefiniu a distribuição de 140 aceleradores lineares (equipamentos utilizados na radioterapia) que integram o Plano de Expansão da Radioterapia. A ação poderá beneficiar mais de 70 milhões de brasileiros com câncer atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
O governo pretende destinar R$ 163,7 milhões para construção e ampliação do atendimento em 14 estados, além do Distrito Federal. O país conta hoje com 243 aceleradores em funcionamento.